0
Viagens

Londres 18 de Maio de 2018

31 Maio, 2018

Então muuuuuuuuito resumidamente, aqui ficam só alguns dos locais que visitei e mais gostei em Londres:

– Em 1º lugar da lista sem sombra de dúvidas o Ottolenghi. É difícil explicar a minha emoção ao entrar nesta bakery em Notting Hill, que eu já conhecia de tanta pesquisa que fiz online e pelos livros que tenho do Sir Yotam Ottolenghi. Depois, a montra é das mais bonitas que eu vi em Londres, super preenchida com mil bolos, folhados e saladas; cheias de cores bonitas e tudo com óptimo aspecto. E, por fim, da forma como somos recebidos e tratados é de enorme profissionalismo. Pedimos uma fatia de quiche, um bolo de laranja e, por fim, uma fatia de bolo de maçã e baunilha. Quando uma das empregadas de balcão nos estava para trazer a fatia de bolo de maçã e baunilha, foi barrada pelo sous chef e levou um ralhete. Isto porque a fatia que ela tinha cortado era demasiado pequena para o preço que está marcado, e que o cliente não podia ficar prejudicado. Cada fatia destas custa 7 libras o que equivale a quase 8 euros, e não é muito difícil gastar 30 euros num pequeno almoço para duas pessoas. Mas assim com este serviço, vale cada cêntimo, ou melhor, vale cada penny.

– O 2º lugar vai para a Violet. Quando chegámos à porta vimos que estava uma estação de televisão a filmar o exterior da padaria, mas nem sonhávamos qual era a razão. Só depois ficámos a saber que era por causa da Claire Ptak, que ia fazer, no dia seguinte, o Bolo do Casamento Real do Harry Meghan. O espaço em si é muito pequeno e os lugares sentados apenas só no exterior, ao ar livre. É tudo bastante fresco, os brownies estão sempre a chegar à montra, podemos ver livremente a zona de preparação dos produtos, mas não podemos é tirar fotografias. Vale a pena o desvio.

– Em 3º o Camden Market. É o lugar onde cheira a todas as comidas do mundo e tem os labirintos mais fantasiosos. São corredores e corredores que se cruzam entre si e mostram sempre mais uma loja. Ora de comida tailandesa, ora lojas de roupa gótica, tudo misturado e deliciosamente cansativo de percorrer. Destaco os scones do The Flour Station Bakery, super frescos, deliciosos e de tamanho aceitável por 4,5 libras. Destaco também o meu almoço de Jerk Chicken.

– Para o 4º lugar reservei Bread Ahead Bakery & School, sendo que a school fica no Borough Market e se forem com tempo, podem fazer Workshops de Pão, Donuts, etc, e uma das bakeries fica em Beak Street, Soho. Destaco o tradicional Bread Pudding que explode na boca com tanta especiaria e açúcar.

– Em 4º lugar também coloco a Nordic Bakery onde comi o melhor Cinnamon  Bun da minha vida. Aquilo cola os dedos todos e faz comichão na garganta por causa de tanta canela e do açúcar, mas tenho mesmo pena que não ter comido mais.

– A Knead Bakery do Paul Hollywood fica em 5º lugar da minha lista. É também um espaço simpático, apesar de pequeno, com pouca variedade na montra mas, apesar disso e de não ter muito boa review no Google, os Sausage Rolls são muito bem servidos e bem temperados (4,5 libras). Aliás, tenho até a receita deles no blog, AQUI, por isso, quem não quiser ir a Londres provar, pode fazer em casa. 

– 6º lugar para o pequeno almoço inglês no The Breakfast Club. Não esmoreçam pela fila que vão encontrar, pois é algo que avança com alguma rapidez e o que vos espera compensa e muito! Para quem não quiser arriscar comer feijão e salsichas ao pequeno almoço, têm também várias opções de pratos com panquecas e smoothies generosos.

– O Dominique Ansel Bakery só fica em 7º lugar porque já não tinham os famosos cronuts, inventados pelo próprio, e infelizmente tive de provar o 2º e 3º best-seller, um deles é aquele Pain au Chocolate.

– 8º. E para queimar a boca com picante, nada melhor do que comida mexicana no Barrio Shoreditch. Só é pena ter a música demasiado alta para quem está a jantar, mas sabem como é… os londrinos nem jantam, só bebem cerveja 🙂

– E para quem gosta de hambúrgueres, ficam em 9º lugar o Honest Burgers e o Kua’aina. Este último mais virado para os sabores havaianos.

– Depois de sair do Ottolenghi passámos pelo Portobello Road Market. Pensava que ia gostar mais deste mercado do que o de Camden, mas havia tanta barraca com “chinezisses” que desce para 10º lugar.

– Em último lugar fica a Peggy Porschen. Há sempre uma fila enorme para entrar e sentar, os bolos, para além de muito caros são secos e pequenos. Qualquer pessoa faria um bolo mais saboroso do que aqueles que lá provei. Aos fãs, mesmo fãs, não deixem de ir, para aproveitarem as fotos, no entanto, também para tirar fotos há fila…  Enfim, não achei nada de especial, mas é só a minha humilde opinião.

Duas padarias que não consegui provar nada, por estar completamente a rebolar, foi a The Hummingbird Bakery que tem uma montra muito focada para os cupcakes e a Gails Bakery com uma montra generosa, com tudo o que precisam para almoçar ou tomar o pequeno almoço. Tive mesmo pena de não ter provado nada na Gails, mas tinha acabado de sair do Ottolenghi quando passei por ela.
Guardámos um dia inteiro para passear pelo Tate Modern, e uma tarde para o  Victoria and Albert Museum porque a vida não são só doces, e recomendo que levem calçado confortável porque vão caminhar muito.

Estadia: ficámos em dois hoteis, o primeiro e o que eu mais gostei foi o Moxy Hotel London, fica a 20 minutos do centro de Londres e 10 minutos do London City Airport, indo de metro. É muito prático, tem um atendimento jovem, profissional e um bom isolamento nas janelas.

Adorei Soho e Notting Hill, no meio disto tudo perdemos um avião (vão cedo para o aeroporto) e fiz 35 anos. Como já tinha bebido alguns pink ladys cocktail’s pensava que fazia 37 anos, por isso quando me disseram a idade verdadeira, bebi mais um copo para comemorar menos 2 anos!

Londres é uma cidade gigante e não tive tempo de visitar tudo aquilo que eu e o meu sócio gostávamos, por isso fica a vontade de regressar um dia.

Be Nice!