A Melhor Mousse de Chocolate do Mundo…

…só podia ser da Rachel Khoo!
Depois daquelas semanas a comer purés, tive assim uma espécie de gula aguda! 
Quase por coincidência caí em cima desta receita e em 3 minutos estava a prepara-la. Sabia que só a ia comer no dia a seguir, mas durante o processo sempre ia provando aqui e ali (só para ver se estava a ficar bom).
NUNCA tinha feito mousse de chocolate ou outra, não é assim algo que me seduzisse.. Mas depois disto.. fiquei completamente rendida a esta textura leve, e sabor forte a chocolate.
Façam hoje, para a saborearem no fim-de-semana!!!
6/7 doses

1ª parte: Crème Pâtissière
60g de gema de ovo
50g de açúcar
20g de amido de milho
Sementes de 1 vagem de baunilha
250ml de leite
1 colher de cacau em pó (100% cacau)
1 colher de café em pó

Bata as gemas com o açúcar até ficar uma mistura esbranquiçada. Adicione o amido. Enquanto isso leve o leite ao lume com a baunilha, o cacau e o café, assim que ferver desligue o fogo.
Coloque lentamente a mistura de ovos no leite e leve novamente ao lume até começar a engrossar. Quando fizer as primeiras bolhas, desligue.
Coloque papel aderente junto da camada de creme, e deixe arrefecer à temperatura ambiente no mínimo 1hora antes de usar. 

2º parte: Chocolate Meringue
60g de claras de ovo
30g de açúcar 
2 ou 3 gotas de sumo de limão
1 pitada de flor de sal
1 colher cheia de cacau (100% cacau) em pó

Comece por bater metade das claras com o açúcar e o limão até começar a ficarem brancas. Adicione o resto das claras, mais o cacau e continue a bater até estarem leves e formarem suaves “picos”.

3ª parte: Whipping cream
200ml de natas (para bater)
1 colher de sopa de açúcar

Bata tudo até ficar com a consistência do chantilly

4ª parte: Misturar tudo : )
150g de chocolate preto derretido em banho-maria

Com uma vara de arames, mexa um pouco o Crème Pâtissière, para desfazer alguns caroços que tenham ficado e misture o chocolate derretido. 
Delicadamente envolva 1/3 do merengue, seguindo do restante e depois o chantilly. 

Divida a mousse em taças e leve-as ao frio pelo menos 1hora antes de servir. É facultativo e não estava na receita, mas eu decorei com frutos vermelhos.
A Rachel aconselha a comer no próprio dia ou guardar no máximo por 2 dias no frigorífico. Mas quem é que ainda vai ter esta mousse de chocolate passado 2 horas?

Be Nice & Eat Chocolate
Foodstyling and Photography: Rosa Cardoso

Puré 3 Cores

Quem é que gosta de ir ao dentista? Pois… Nem eu… Acontece que no outro dia tive mesmo de ir e o diagnóstico foi: arrancar os 4 dentes do siso (um de cada vez claro). Parece que tenho uma boca demasiado pequena para tantos dentes e já estão a empurrar os outros… 
Então e o que é que comemos quando temos a boca com pontos e não podemos praticamente mastigas? Sopas passadas, Gelatina, Gelados, Fruta triturada e Puré. Eu fiz puré de batata, de cenoura, de ervilhas, de espinafres.. Eu sei lá!
Foi então que me lembrei de uma fotografia do livro da Rachel Khoo “The Little Paris Kitchen” onde mostra um tabuleiro com um puré de 3 cores, maravilhoso. 
Não segui a receita dela, mas segui sim a maneira como ela “riscou” a travessa com o puré.

400g de restos de carne estufada
(frango, vaca, pato, etc… ou esta receita de Bolonhesa)
6 batatas médias sem pele
1 beterraba média sem pele
175g de espinafres (só as folhas)
sal, pimenta preta e noz moscada qb
leite q.b.

Coza as batatas numa panela com água e sal. Quando estiverem bem cozidas, desfaça-as em puré com um passe-vite, tempere com noz-moscada, pimenta preta e rectifique o sal. Dissolva um pouco de leite para ficar mais cremoso. 
Noutra panela coza a beterraba, e depois passe-a também no passe-vite até ficar em puré.
Numa frigideira anti-aderente coloque um fio de azeite e os espinafres, previamente lavados, e leve-os a saltear uns 3 minutos. Coloque-os num processador de alimentos e pique-os até ficarem numa pasta. Reserve.
Divida o puré em 3 partes, sendo uma delas maior do que as outras 2. 
Junte a beterraba a uma das partes mais pequenas, e misture bem.
Junte os espinafres a outra parte mais pequena, e misture bem.
Coloque individualmente cada cor em 3 sacos pasteleiro (ou outro tipo de saco de plástico, limpo).

À parte, disponha a carne (quente) num tabuleiro (19cm x 25cm) e faça deslizar “riscos” de puré alternando as cores. 
Sirva imediatamente!
Quando a travessa chegar à mesa vai fazer um sucesso!!!! Acredite.

Be Nice!
Foodstyling and Photography: Rosa Cardoso


Rolinhos de Pão e Canela

No domingo passado foi festa na aldeia e estávamos lá todos. As comidas tradicionais em dia de festa são maravilhosas e bastante pesadas! Passa por Chanfana, Sopa de Pão, Leitão Assado e Arroz Doce. 
Os meus sobrinhos de 15 e 4 anos também lá estavam e claro, estas comidas são um bocado difíceis para eles.
Perto da hora do lanche pensei em fazer aquilo que eles mais gostam, pizza! Peguei numa receita de massa de pizza do Jamie Oliver, e para o topping usei todos os ingredientes biológicos lá da aldeia: tomate, tomate-cereja, pimentos, courgette e cebola. 
Tive a ajuda preciosa da minha sobrinha de 4 anos, para esticar a massa e rechear todas as pizzas. Ela estava radiante!!! :) E o meu sobrinho também, pois comeu até não poder mais! 

Para a massa (usei só metade desta receita, a outra metade foi para fazer outro post)

800g de farinha de trigo forte
200g de sémola de trigo de moagem fina
1 colher de chá de sal fino
1 saqueta de fermento seco para padeiro (11g)
1 colher de sopa de açúcar castanho
cerca de 650ml de água morna.

Recheio:
1 punhado de nozes picadas
1 punhado de amêndoas picadas
1 punhado de arandos vermelhos
açúcar e canela q.b

Num copo junte o fermento com o açúcar e a água, misture com um garfo e deixe repousar uns minutos. Num recipiente misture as farinhas com o sal, faça um buraco no meio e junte a água. Vá mexendo com um garfo em movimentos circulares até incorporar a água toda. Depois deite a massa sobre uma superfície de trabalho limpa. Polvilhe as mãos com farinha e amasse energicamente durante 10 minutos. Coloque a bola de massa, numa taça grande, polvilhe com farinha e tape com película aderente durante 30 minutos, num local quente e sem correntes de ar. A massa vai dobrar de volume!

Pegue em metade dessa quantidade de massa e estique com a ajuda do rolo da massa, em forma rectangular e com uma espessura de 2cm.
Polvilhe com açúcar, canela, e os frutos secos. Enrole a partir da parte mais comprida e com cuidado corte 6 a 8 rolinhos. 
Coloque-os verticalmente numa forma revestida com papel vegetal (redonda ou quadrada), Tape a forma com um pano e deixe-os repousar pelo menos mais 30 minutos (pode guardar no frigorífico de um dia para o outro.
Na altura de os fazer, pré aqueça o forno a 200ºC e deixe os rolinhos cozerem 30 minutos mais ou menos.
Retire do forno e deixe cair um fio de mel por cima. Sirva com um café.

Be Nice!
Photography: Rosa Cardoso

Bolinhos de Queijo  Haloumi e Cenoura

Na semana passada, tirei uns dias para passear um pouco. Apesar de estar perto de alguns pontos turísticos de Portugal, ainda não tinha tido oportunidade de os conhecer. Foi o caso do Convento de Cristo em Tomar, o Buddha Eden no Bombarral e as Grutas da Moeda em Fátima. E foi nesta última paragem que almocei arroz de pato, servido no pratinho da imagem. Em conversa com o dono do restaurante, lá o convenci a oferecer-me o prato “sim, este mesmo, todo lascado”. 
Vim embora toda contente com a minha aquisição, e agora uso-o muitas vezes para servir aqueles petiscos que só ficam bem num prato de barro, tipicamente português!
Mas hoje a receita é bem diferente disso…

Faz 10 bolinhos:

2 cenouras raladas
1 courgette ralada 
500g de queijo haloumi ralado
2 colheres de sopa de coentros frescos picados
2 ovos do campo batidos
4 colheres de sopa de miolo de pão esfarelado
Sal e pimenta preta moída na hora

Coloque a cenoura e a courgette num coador ou peneira e polvilhe com sal para fazer sair a humidade dos legumes. Ponha a escorrer 5 minutos sobre uma taça e depois envolva num pano e esprema o líquido em excesso.
Depois disso, junte a este preparado o queijo e os coentros. De seguida os ovos e o pão. Misture e prove o tempero. A massa deve ter agora uma textura adequada para formar os bolinhos, se assim não estiver, junte mais um pouco de pão. 
Use uma colher de sopa (ou gelado) para retirar porções iguais de massa, e molde 10 bolinhos achatados, pressionando contra a mão para eliminar qualquer líquido. 
Deixe repousar no frigorífico 20-25 minutos, antes de os fritar.

Aqueça uma frigideira antiaderente com um pouco de azeite, e frite os bolinhos até ficarem dourados e estaladiços dos dois lados.
Sirva-os quentes com arroz thai e açafrão, por exemplo :)

Be Nice, adaptado da Gordon Ramsay, Comida Caseira!
Photography: Rosa Cardoso

Tarte de Tomate e Ricotta

E hoje, domingo de sol, vamos descomplicar. E para mim descomplicar é fazer uma refeição simples, rápida e saborosa (claro sem recorrer a essa coisa do fastfood). 
Apanhei estes tomates-cherry em casa dos meus pais, alguns ainda um pouco verdinhos e pequeninos, mas a minha paciência para esperar pelas coisas boas é muito reduzida. Queria mesmo fazer esta tarte de tomate com eles, já!!!
E assim foi :)

Óptima sugestão para comer à temperatura ambiente ou mesmo assim bem fresquinha.
Quem é que já está a salivar?

Para a Massa
150g de farinha sem fermento
70g de manteiga fria em pedacinhos
25ml de água fria

Recheio:
2 punhados de tomate da sua preferência
(eu usei tomate-cereja; chucha. Coloridos)
azeite, flor de sal, pimenta-preta
1 raminho de salsa ou manjericão
250g de ricotta
2 colheres de sopa de queijo creme
1 ou 2 colheres de sopa de mostarda 

Corte os tomates maiores ao meio, e deixe alguns inteiros. Coloque tudo numa taça temperado com azeite, flor de sal, pimenta-preta e salsa.
Deixe marinar à temperatura ambiente até precisar de os usar. 

Ligue o forno a 180ºC enquanto prepara a massa (é rápido). Numa taça grande, coloque a manteiga e a farinha. Aperte os ingredientes com as pontas dos dedos até começar a formar uma espécie de areia grossa. Vá adicionando a água até achar que está numa consistência boa para moldar, e amasse com força para a manteiga de misturar.
Numa superfície enfarinhada estique a massa com uma espessura de 5mm. 
Forre o tabuleiro com papel vegetal e estenda a massa por cima do tabuleiro, pressione bem junto às laterais. Pique toda a massa com um garfo.
Leve aos forno até estar cozida. A este processo de cozermos a massa sem recheio chamamos “blind bake”.

Depois de tirar a massa quebrada do forno e desta ter arrefecido completamente, barre a mostarda na base.
Misture os queijos e tempere com um pouco de flor de sal e pimenta-preta. Mexa tudo muito bem até ficar um creme homogéneo.
Coloque no por cima da base da tarte e alise a superfície. 
Com cuidado, coloque os tomates marinados por cima do creme de queijo. 
Está pronto a servir!!!!

Esta receita foi feita para uma forma rectangular: 30cm x 11cm

Be Nice, adaptado da Raiza Costa!
Photography: Rosa Cardoso